quinta-feira, 28 de abril de 2011

3 X 3 haicais




autorretrato

nada que faço
me completa: invento
a mim - poeta.


para
Mário Quintana



.


múltipla escolha

vida? - ou arte?
se a arte escolho -
vida - faz parte.


para
Emily Dickinson



.


vôo cego

o sonho é tal
que do corpo esqueço -
em mim tropeço.


para
Maurice Utrillo



.


[R.M.]

+

Mira Schendel; sem título, guache e carvão s/ papel, 1983 [da série "frutas"]

19 comentários:

Controvento-desinventora disse...

Amei!!!!
Essas homenagens aos outros são carinhos a nós mesmos.

Marcantonio disse...

Todos excelentes. E as dedicatórias preeminentes, ao final, fazem com que a gente queira refazer a leitura.

Procuro adotar também a filosofia contida neste belo Múltipla Escolha. Aliás, não sei sequer como se ousa separá-las, não?

Um abraço, Raul.

há palavra disse...

Claudiamiga,

acertou em cheio: somos o que somos muito em funçaão das nossas "afinidades eletivas"...

Abraços, bons caminhos pra ti!

há palavra disse...

Pois é, Marcantonio!

Como separar, se a vida faz [p]arte?

Também tento fazer assim, o trabalho que nos transforma é um chamado, uma "vocação"...

Muito me encanta tua presença por aqui, grato por mais esta visita e pelo comentário - substancial, como sempre!

Abraços, bons caminhos...

valeria soares disse...

São lindos!

há palavra disse...

Grato, Valéria!

Feliz por mais esta visita tua!

Abraços, bons caminhos pra ti...

betina moraes disse...

raulamigo,

fantástico como você captou exatamente o "clima" que envolveu a poesia dos seus dedicados e a vida depressiva e alcoólica do pintor de montmartre,

quintana era exatamente o frescor, por vezes humor, no mesmo tom que o seu verso;

emily, a reclusa poeta, com sérios problemas de visão e que nunca chegou a publicar em vida um único livro, é obviamente a maior prova de que arte e vida não se separam jamais!

e o que é o alcoolismo a não ser o tropeço em si (sobre)mesmo? como no voo cego do artista maurice...

que produção sensacional, professor!

bons caminhos, amigo!

há palavra disse...

Betinamiga:

nessa vida incompleta
o leitor é a complexa
completude do poeta

Abraços, bons caminhos!

betina moraes disse...

:)

Renata de Aragão Lopes disse...

Gostei de todos, Raul!

Abração,
Doce de Lira

há palavra disse...

Grato, Renata!

Pela presença e palavra que alimenta...

Abraços, bons caminhos!

Betha Mendes disse...

a vida
é
um hai-kai!

um lindo hai-kai...

abçs

Betha

há palavra disse...

Betha,

esta é a meta!

Como afirma o pensamento clássico oriental, o objetivo do "caminho" ["do"] é a "arte sem arte"...

Abraços, grato pela visita e presença ativa!

ॐ Shirley ॐ disse...

Pode-se dizer muito com pouquíssimas palavras. Foi o que voce fez. Beijos.

há palavra disse...

Grato, Shirley!

A concisão é um eterno exercício...

Abraços, bons caminhos!

Paulo disse...

Acho que vem crescendo muito a tua capacidade de dizer muito com poucas palavras. Gostei dos três, mas o dedicado ao Maurice Utrillo achei genial.

há palavra disse...

Paulo,

creio que Utrillo seja um pintor subestimado. Sua poética é apenas aparentemente singela, alguns quadros dele expressam um drama humano silencioso, porém muito intenso.

Abraços, grato pela presença e comentário!

D.Everson disse...

muito bom cara, gostei mesmo

Raul Motta disse...

Valeu a dupla presença, D.Evenson!
Já sou teu seguidor,
abraços, bons caminhos...