segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

ludens







o

poema

é

o pio

do

ovo







[R.M.]

+

Paulo Pasta, sem título, óleo s/ tela, 2000

+

feliz por estar também em

http://buhobranca.blogspot.com/2011/02/lundes.html

grato pela poética abdução, Mariana!

8 comentários:

betina moraes disse...

raulamigo,

se sua busca é pela potência do mínimo, chegaste!

excelente construção.


bons caminhos aos seu caminhos bons.

há palavra disse...

Betinamiga,

esse ficou entre um haicai e o poema-piada do Oswald.

[Se um dia for caminhoneiro escrevo ele no parachoque!]

Abraços, tudibom!

mariana disse...

na lata!

há palavra disse...

Mariana!

Marcantonio disse...

Do pio aos piões de Paulo Pasta. Pintura sobre pintura, de sutis vibrações cromáticas.

Abraço.

há palavra disse...

Marcantonio,

a cor na pintura seria como o som na poesia?

Abraços!

luiz gustavo disse...

a pedra se faz poema
e verte poesia
do seu próprio ventre...

há palavra disse...

[o]
todo
[do]
poema

Abraços!