sábado, 30 de junho de 2012

um microconto

 
Breve

Todos os caminhos levam. Adeus.




[r.m.]

10 comentários:

Alice disse...

Mas o tempo é imóvel.

É sempre, sempre, sempre bom vir aqui!!!

=*

Cristiano Marcell disse...

Muito bom!

Raul Motta disse...

Alice,

é sempre bom ter tuas palavras aqui - a qualquer tempo...

Grato, bons caminhos!

Raul Motta disse...

Cristiano,

meu primeiro exercício no estilo... Que bom que gostou!

Abraços, bons caminhos pra ti!

Dolce Vita disse...

Uma síntese mais que perfeita!

Raul Motta disse...

Grato, Dolce Vita!

Vindo de ti, o elogio ganha um sabor especial!

Abraços, bons caminhos...

Luiz Alfredo disse...

Poeta concreto neoconcreto
e acima de tudo sem rótulo
um poeta
belo poemas
herança dos Campos
do Gullar
mais o teu talento
pinta borda poeta
belos con(neo)concretos
eles inventam a forma
e você tem que continuar
a invenção
a revolução
a escrever estes belos
poemas
desculpe se extrapolei
amei

Luiz Alfredo - poeta

Daniela Delias disse...

Perfeito!!!
;)
Bjão, Raul

Raul Motta disse...

Luiz,

você acerta em referências importantes para mim - ainda que me veja longe de suas reais e concretas maestrias...

Grato pela presença e comentário em alta voltagem poética!

Raul Motta disse...

Daniela,

perfeitas são as leituras, apropriando-se alquimicamente do objeto poético...

Grato pela presença, bons caminhos pra ti!