sábado, 9 de maio de 2009

A Descoberta do Fogo seguido de A Expulsão do Paraíso

É preciso viver muito, deixar-se trabalhar todo, tudo ensaio. Até chegar o dia - e esse dia também passa -, até chegar o dia em que se chega àquela condição mais humana que se almeja tão pouco ter: aquela condição em que o espanto é o entendimento, e o entendimento é espanto.
[ R.M. ]




Mira Schendel; sem título, 1966; Ecoline e bastão de cera sobre papel.

+

Mira Shendel:
.

2 comentários:

betina moraes disse...

invejável condição, raul!
invejável!

os textos de iara são preciosos, assim como ela, uma das melhores criaturas que o destino me apresentou.

apesar das tantas previsões pouco animadoras com relação ao ser humano, ainda tem Gente valiosa por aí e a literatura carrega a metade delas para si!

grande abraço!

Ana Patrocínio disse...

Nossa,o silêncio e a solidão estão realmente metamorfoseando o seu interior... Cada dia que passa me espanto também. Você sempre tem as melhores palavras. Penetra surdamente no reino delas e quando dizem: truxeste a chave? Você sempre dá aquele meio sorriso com olhos atentos e responde: "Sem dúvidas!" rs