domingo, 4 de setembro de 2011

[ainda o amor]





profundo

leve
me

pro
fundo




[R.M.]
+
imagem
Lucio Fontana [1899-1968]; Concetto Spaziale, 1960.

10 comentários:

Fouad Talal disse...

ah! literação,
que seria de
nós
sem
vós
?

um abraço!

Raul Motta disse...

o que seria
do[i]s nós
sem voz?


Grato pela presença e diálogo!

Abraços, bons caminhos!

Clarice Villac disse...

Parabéns Raul,
Parabéns Fouad,
que beleza tudo isso !

:~)

Alice disse...

Leve-me com você
por direção qualquer
sei que não haverá a rota exata."

O amor é um canto em silêncio de vozes urgentes.

Um beijo!

Raul Motta disse...

Clariceamiga,

dizem que um bom leitor é também um poeta mas, na verdade, um bom leitor é mais que um poeta, um poeta a mais...

Não é mesmo?

Abraços, bons caminhos!

Raul Motta disse...

Aliceamiga

[acho que já posso te considerar assim, não?],

tua percepção achou o centro: o amor é o eixo, seu sentido é movimento - para fora do eixo...

Abraços, tudibom pra ti!

D.Everson disse...

muito bom

Raul Motta disse...

D.Everson,
grato pela presença e incentivo!
Abs.!

Leonardo disse...

Poderia ser assim, também:
Pro
fundo
Leve
mente
profundo.

Que tal? heheh

Leonardo.

Raul Motta disse...

Leonardo,

com certeza, sim, poderia - perderia-se a brincadeira/antítese entre "afundar" e "leve/leveza" promovida pelo amar - mas também se ganharia outro sentido, tanto ou mais pro... fundo!

Abraços, grato pela presença e diálogo poético!