quarta-feira, 28 de setembro de 2011

e tem o dito




nesta lida incompleta
o leitor é a complexa
completude do poeta



[R.M.]

12 comentários:

Ana Ribeiro disse...

Incompleta também eu,complexamente nos completamos, leitora e poeta.
:)

sandra camurça disse...

pensei e pensei mas não sei...acho que nem mesmo o leitor completa o poeta...
beijos

Alice disse...

E que se (re)faz em todo tempo.

-

Farias isso? Eu adoraria!

Um beijo

Raul Motta disse...

Ana,

pois é isso: todo poeta é um leitor – e vice-versa... ou verso?

Abraços, grato pelo diálogo!

Leonardo B. disse...

[ambos os lados do texto, o espelho da vida dentro do oficio da escrita... sempre incompleta, rumando!]

um abraço, Raul

Leonardo B.

Raul Motta disse...

Sandra,

tua dúvida me fez pensar, pesar e apesar também: eu não creio em completudes, pero que las hay, las hay!

Abraços, bons caminhos!

Raul Motta disse...

A cada [re]leitura!

Abraço, Alice!

Raul Motta disse...

[in]
completude
[im]
possível

.

Abraço, Leonardo!

Grato pelo preciso diálogo...

sandra camurça disse...

Você ta certo Raul, eu é que ando numa fase descrente, pessimista...

Gaby Soncini disse...

Completude do poeta, o leitor.

Que lindas palavras!

Grande Beijo!

Raul Motta disse...

Sandra,

na verdade somos muitos e tantos e, por vezes, tão simultaneamente!

Crer e descrer fazem parte do [nosso] todo - acho...

Abraços!

Raul Motta disse...

Gaby,

grato pela delicadeza!

Abraços, bons caminhos pra ti...