terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

descarte

penso
sinto
sucinto





[r.m.]

4 comentários:

Elisa Zambenedetti disse...

Muito prático.
Gostei!
Beijos.

Fred Caju disse...

Lembrei do meu conterrâneo:

DO DESCARTES

Penso
Logo
Desisto.


(Valmir Jordão)

Raul Motta disse...

Fred,

boa essa do seu amigo!

Em tempos em que o pensamento não é estimulado, dá mesmo vontade de desistir...

Essa frase cartesiana gerou muitas adaptações - me recordo, durante os anos de regime autoritário, de uma assim:

"Penso, logo resisto!"

Sigamos pensando, sentindo e escrevendo!

Grato pela presença e comentário,

abraços e bons caminhos!

Raul Motta disse...

Elisa,

acertou na mosca: artista plástico que sou, costumo me autodefinir como "artista prático"... Tento levar essa simplicidade e concisão para a poesia, se você acha que cheguei lá, fico feliz!

Grato pela presença!