sábado, 11 de fevereiro de 2012

duo




meu amor não pode amar por mim
não somos um
nem únicos
somos duas entranhas
pessoas estranhas
a fim
de ser
afins



[r.m.]


+


imagem
"liú bliú" ["Amo!"]; desenho de Vladímir Maiakóvski

25 comentários:

Sahara Higino disse...

Tens tu,
a linguagem direta.
A que fala certa,
sem pedir licença.

Cativou-me!
Estou a segui-lo.

Vanessa L. disse...

Que poema cheio de charme.
Raul, seu blog é encantador...
poemas lindos...
Gostei muito e sigo.
Te convido a conhecer meu canto de palavras...espero que goste.

http://somdospassos.blogspot.com/

Bei-jo^^

Franco disse...

Suas escritas são peculiares,da-me a sensação de que já estão à muito prontas,muito boas.
Logo reconheci o desenho,gosto muito de Maiakóvski.
Cumprimentos.

Ana Ribeiro disse...

Hummm... Bem que sempre desconfiei que eu não era nenhuma metade à procura. Somos inteiros, na verdade. Sem essa de que um completa o outro. Um abraço. Obrigada por dizer esse sentimento.

sandra camurça disse...

Mas eu adorei esse duo!
Abraços pro Duo (você e seu amor) :)

Raul Motta disse...

Sahara,

grato pela presença e comentário!

Bom saber que a comunicação é possível, precisamos das pontes...

Abraço, bons caminhos pra ti!

Raul Motta disse...

Vanessa,

visitei e já sigo teu blog.

Seja bem vinda, grato pelo comentário!

Raul Motta disse...

Franco,

grato por se fazer presente mais uma vez por aqui!

Maiakóvski foi mesmo um artista múltiplo, também sou um admirador de seus poemas e criações gráficas.

Abraços, bons caminhos pra ti...

Fred Caju disse...

Massa, tava com uns poemas do Cacaso na cabeça que tem muita confluência com o seu.

Alice disse...

Eles são ninguéns no plural? Como diria seu Rosa?

Sempre elegante tua escrita.

Beijo.

Alice disse...

Ei, na verdade não foi seu Rosa e sim o Mia Couto, haha. Troquei os nomes todos.


=*

Cristiano Marcell disse...

Ninguém é melhor que você em jogo de palavras dentro da poesia!

Raul Motta disse...

Grato, Ana!

Sim, acho que é isso: somos inteiros – ainda que aos pedaços... Ou seríamos sujeitos feitos de pedaços inteiros?

Isso tá virando um quebra-cabeças!!! Rs...

Abraços, tudibom nos caminhos...

Raul Motta disse...

Sandra,

eu e meu amor, juntos e/ou separados, agradecemos...

Abraços, grato pela presença!

Raul Motta disse...

Puxa, Fred!

O paralelo com o poeta/letrista de primeira só me honra, né?

Me apresente estes poemas do Cacaso - gosto de cultivar/cultuar minhas “confluências”...

Abraços, bons caminhos pra ti!

Raul Motta disse...

Sem problemas, Alice!

Essa pequena confusão só demonstra a qualidade das tuas leituras... Grato por me ler também!

Abraços, bons caminhos pra ti...

Raul Motta disse...

Ô, Cristiano!

Tento seguir este caminho - jogar com as palavras é “falar de dentro” da língua... E revela uma outra “influência/confluência” que me formou: a poesia concreta.

Abraços, grato pela presença!

Cristiano Marcell disse...

Queria convidá-lo(la) a visitar a coluna Haicais de Domingo(http://poetasdemarte.blogspot.com). A entrevista de hoje é com Vilma Piva.

Obrigado e muita Paz!

Raul Motta disse...

Estarei lá, Cristiano!

Elisa Zambenedetti disse...

Lindamente versejado, Raul!
Beijos.

Raul Motta disse...

Elisa

grato pela presença!

Bons caminhos pra ti...

Jéssica do Vale disse...

Pois é bem essa vontade
de não ser só "dois"
que a vontade de ser
só "um", invade.

Bem vindo ao meu blog,
estou a segui-lo também.

VILMA PIVA disse...

Raul, querido amigo, vim agradecer por seu comentário sobre minha entrevista. Obrigada pelo estimulo e carinho.
Arriscando um haicai sobre seu belo tema:

Sentido comum
em dois seres distintos
faz-se o duo em UM.

Beijos,
Beijos

Raul Motta disse...

Grato, Jéssica!

Como cantou Luis Melodia:

"Mesmo que tudo / juntar por aí / o só / em nós / há de sempre existir..."

Abraços, bons caminhos pra ti!

Raul Motta disse...

Vilma,

grato pelo diálogo poético!

Belo haicai, como tantos outros dos teus...

Abraços e bons caminhos pra ti