sábado, 10 de março de 2012

vagos





I

pago em palavras
o débito
diário
com a vida

aceito troco
curto o prazo
a perder de vista



II

não aprendi com literatos
a grande
inesquecível lição
da necessária concisão:

"Fale ao motorista somente o indispensável"

a frase seca
em singela tabuleta
segue sendo
desde sempre
então
minha meta de poeta



III

barco
é berço
fora
o mundo vaga



IV

sim
gostaria de ver passar
o filme da minha vida toda todo de uma vez mas -
segundo dizem -
é caro o ingresso







[r.m.]

+

imagem
Oswaldo Goeldi; Sem título ["Solitário"]; nanquim a pincel, s.d.

2 comentários:

Cristiano Marcell disse...

Todos muito bons, caro amigo poeta!

O ingresso além de caro, muita das vezes não está a venda!

Raul Motta disse...

Grato, Cristiano!

A vida é curta, mas dá um longa...

Abs.!